O Facebook está sendo investigado na UE por seu vazamento massivo de dados de 533 milhões de pessoas – e pode enfrentar uma multa na casa dos bilhões

O principal regulador de privacidade da Europa está investigando se o Facebook violou a lei ao lidar com um vazamento de números de telefone e dados pessoais de mais de 533 milhões de pessoas.

A Comissão de Proteção de Dados da Irlanda, órgão encarregado de supervisionar a conformidade de privacidade do Facebook na União Europeia, anunciou que abriu uma investigação sobre o gigante da mídia social na quarta-feira. Se for descoberto que o Facebook violou as regras de dados da UE, ele poderá enfrentar uma multa monetária de até 4% de sua receita global de US $ 86 bilhões.

Em um comunicado , o DPC disse acreditar que as regras de dados da UE “podem ter sido, e / ou estão sendo, infringidas em relação aos dados pessoais dos usuários do Facebook”.

Os dados pessoais de mais de 533 milhões de usuários do Facebook foram despejados online gratuitamente em um fórum de hackers no início deste mês, informou o Insider pela primeira vez . Os dados incluíam números de telefone que os usuários não divulgaram em seus perfis do Facebook, que foram copiados por cibercriminosos em violação aos termos de serviço do Facebook.

Um porta-voz do Facebook disse em um comunicado ao Insider que a empresa está “cooperando totalmente” com a investigação, acrescentando que o DPC está investigando uma vulnerabilidade agora corrigida em uma ferramenta do Facebook que possibilitou coletar informações sobre um usuário do Facebook digitando seu número de telefone.

“Estamos cooperando totalmente com o IDPC em sua consulta, que se refere a recursos que tornam mais fácil para as pessoas encontrar e se conectar com amigos em nossos serviços. Esses recursos são comuns a muitos aplicativos e estamos ansiosos para explicá-los e as proteções que implementamos ”, disse o porta-voz.

Quando a notícia do vazamento foi divulgada pela primeira vez, o Facebook disse que os dados foram eliminados devido a uma vulnerabilidade que a empresa corrigiu em 2019 e minimizou o problema como “relatado anteriormente” – mas a empresa nunca abordou publicamente a vulnerabilidade em detalhes até que os dados despejassem isso mês.

O Facebook também disse que não planeja notificar as centenas de milhões de afetados pela violação de dados porque não está confiante de que tem total conhecimento de quais usuários são afetados e porque os usuários não podem tomar medidas para corrigir o problema, visto que os dados foram já foi publicado online.

A investigação DPC vem na esteira da pressão da Comissão Europeia. O comissário de Justiça Didier Reynders disse na segunda-feira que se encontrou com a chefe do DPC, Helen Dixon, a respeito do vazamento do Facebook.

A investigação da UE vai investigar se o Facebook tinha a obrigação legal de notificar os usuários e reguladores europeus quando encontrou e corrigiu a vulnerabilidade. As regras de privacidade de dados da UE, conhecidas como GDPR, exigem essas divulgações – mas o GDPR só se aplica aos dados processados ​​após 2018, e ainda não está claro se os dados vazados do Facebook foram coletados antes do GDPR entrar em vigor.

O DPC disse que já começou a questionar o Facebook sobre o vazamento de dados e que o Facebook “forneceu uma série de respostas”.

Fonte: BI – AARON HOLMES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s